Exposições

> ATUAIS

José Bechara – Fluxo Bruto

26 de Julho a 05 de Novembro de 2017

Alumínio, mármore, madeira, placas de vidro, tinta e oxidação de emulsões de cobre e ferro. Tridimensionais que se confundem com pinturas. Bidimensionais que se aproximam de esculturas. Trabalhos inéditos por estarem, de fato, sendo vistos pela primeira vez ou por reunirem peças realizadas em anos anteriores em outros arranjos, como a ampliação da volumetria original ou a adição de elementos intrusos, pensados a partir da relação com o espaço arquitetônico ou do diálogo com o conjunto da exposição. Fluxo bruto de José Bechara ocupa o Salão Monumental, reunindo todos esses elementos em seus trabalhos de grande escala.
A mostra do artista carioca encontra eco no pensamento da curadoria do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, não só na sua maneira de lidar com o acervo da instituição, mas também na programação que vem apresentando ao público. Para além de apresentar as peças mais conhecidas (e procuradas) de seu acervo, em leituras já estabelecidas pela história da arte, ou mesmo de pensar isoladamente mostras de artistas brasileiros e internacionais, nosso interesse é também estimular os diálogos inusitados (entre obras de uma mesma exposição, e também entre artistas que dividam a programação do museu), revelando outras possibilidades de leitura da obra de arte e de sua história.

Fernando Cocchiarale e Fernanda Lopes
Curadoria

-

Aluminum, marble, wood, plate glass, paint, and oxidized emulsions of copper and iron. Three-dimensional works that could be taken for paintings. Two-dimensional works that could pass for sculptures. New works, either because this is the first time they are being exhibited or because they combine earlier pieces in novel arrangements, here extending the original volume, there introducing new elements conceived in relation to the architectural space or in interaction with the exhibition as a whole. Brute Flux, by José Bechara, occupies the Salão Monumental exhibition hall, bringing together all these elements in his large-scale works.
This exhibition of work by the Rio-based artist is in tune with the curatorial line at Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, not just in the way it deals with the institution’s collection, but also in the line-up of shows on offer to the public. Aside from exhibiting the best known (and most sought-after) works from its collection in interpretations already established by art history, or even conceiving of exhibitions of Brazilian and international artists in isolation, our interest is also to strike up unexpected connections (between works from the same exhibition and also between different artists on show in the museum at the same time), revealing new potential interpretations of the artworks and their history.

Fernando Cocchiarale and Fernanda Lopes
Curators

Compartilhe

  • Mantenedores