Exposições

> ATUAIS

Ron Mueck

20 de Março a 01 de Junho de 2014

Há mais de quatro anos desejamos expor os trabalhos de Ron Mueck, um escultor australiano que reside e trabalha na Grã Bretanha. O artista produz efeitos especiais incrivelmente realistas ao criar seus trabalhos – esculturas que reproduzem os detalhes do corpo humano com tanta precisão que, se não fosse pelo tamanho, poderiam passar por seres reais.

 

Quando Hervé me contou que Ron Mueck tinha sido convidado para mostrar sua nova escultura na Fondation Cartier pour l’art contemporain, em abril de 2013, apresentei ideia à Adriana Rosenberg, diretora da Fundación Proa, nossa parceira em exposições importantes e ao Bruno Assami, que está sempre envolvido em nossos projetos. Ambos são grandes admiradores do trabalho de Ron Mueck. Propomos o projeto à Organização Techint | Tenaris, nosso patrocinador e uma dos maiores fomentadores de cultura na Argentina e no Brasil, e eles imediatamente o abraçaram.

Além das seis importantes e recentes esculturas, a exposição inclui três que foram criados especialmente para este evento. Um novo filme documentando a criação foi produzido por Gautier Deblonde para esta ocasião. Mostrar o artista recluso trabalhando, enfatiza ainda mais a sensibilidade e o poder das esculturas, e destaca seu significado especial em nossos dias.

No começo de sua carreira, ele criou fantoches e adereços para a TV assim como filmes infantis. Mais tarde, ele fundou sua própria companhia, em Londres, e trabalhou com publicidade. O objetivo do escultor é criar esculturas que são cada vez mais reais. Ele brinca com escalas para produzir imagens visuais que são maiores do que a vida.

A exposição começou sua itinerância em abril, na Fondation Cartier pour l’art contemporain, em Paris, recebendo mais de 300.000 visitantes, e depois na  Fundación Proa,em Buenos Aires. Chegaagora ao Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, encerrando seu ciclo de exposiçõesem junho. Estamoscertos de que será um grande sucesso de público e crítica, e uma das exposições mais importantes dos últimos anos.

Finalmente, gostaria mais uma vez de agradecer à Organização Techint | Tenaris e a todos os colecionadores que cederam trabalhos para esta exposição; Hervé Chandès, Diretor Geral da Fondation Cartier pour l’art contemporain e Grazia Quaroni, curadora; nossos patrocinadores e parceiros, os funcionários do MAM, Charlie Clark e a todos que ajudaram a fazer desta exposição uma realidade, e um agradecimento especial também para Anthony d’Offay.

Carlos Alberto Gouvêa Chateaubriand

Presidente

Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro

-

Em 2013, Ron Mueck foi convidado para apresentar suas esculturas na Fondation Cartier pour l’Art Contemporain em Paris. Essa mostra foi exibida em sua íntegra na Fundación PROA, Buenos Aires na Argentina, e agora será apresentada no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Uma exposição de Ron Mueck é um evento incomum. Radicado em Londres, Ron Mueck já realizou mostras aclamadas no mundo todo, do Japão à Austrália e Nova Zelândia, passando pelo México, mas exibições de seu trabalho na Europa nunca foram tão frequentes. Mueck trabalha lentamente em seu pequeno estúdio ao norte de Londres, e o próprio tempo transmuta-se em um elemento importante dentro de seu processo criativo. O detalhe de suas figuras humanas é meticuloso, com surpreendentes mudanças de escala que as distanciam do realismo acadêmico, da pop arte e do hiper-realismo.

Três novas esculturas são exibidas aqui pela primeira vez: dois adolescentes na rua, uma mãe com seu bebê e um casal de idosos na praia. Parecem congelados em momentos da vida, cada uma delas capturando o vínculo existente entre dois seres humanos. A natureza do laço de um indivíduo retratado com o outro é revelada pelas ações, mínimas e comuns, e mesmo assim intrigantes. A precisão dos gestos, a aparência realista da carne, e a sugestão de elasticidade da pele fazem as esculturas parecem totalmente reais. Essas obras descrevem situações imaginárias, mas sua obsessão com a verdade evidencia a busca de um artista pela perfeição, munido de uma incrível sensibilidade pela forma e material. Pressionando os limites da similitude, Mueck cria obras que são secretas, meditativas e misteriosas.

Iluminando as verdades universais. Estes temas que aparecem ser tão comuns, também irradiam uma espiritualidade e profunda humanidade que provoca uma resposta.  Visando muito além das tradições do retrato, Mueck revela a natureza misteriosa da nossa relação com o corpo e a existência.

Ron Mueck revitalizou a escultura figurativa contemporânea.  Ron Mueck faz uso de uma rica diversidade de fontes, tais como fotografias jornalísticas, histórias em quadrinhos ou obras de arte históricas, memórias proustianas ou fábulas e lendas antigas. Still Life (Natureza morta, 2009) se encaixa na tradição clássica da natureza morta, a Woman with Sticks (Mulher com galhos, 2008), inclinada para trás sob um feixe de lenha e nos faz lembrar dos contos de fadas. Drift (À deriva, 2009) e Youth (Juventude, 2009)  parecem inspiradas em manchetes de jornais, ainda que também evoquem obras do passado. Em outras esculturas de Ron Mueck, como o grande autorretrato adormecido Mask II (Máscara II, 2001-2002), os sonhos transformam-se subitamente em realidade.

Seu processo criativo, muito circunspecto, é revelado em um novo filme intitulado Still Life:  Ron Mueck at Work de Gautier Deblonde. Esse documentário foi produzido para a exposição na Fondation Cartier pour l’Art Contemporain. Rodado no estúdio de Mueck enquanto ele produzia suas novas obras para a mostra, esse filme intimista nos oferece uma oportunidade única de observar o artista em seu próprio processo criativo.

-

For over four years we have wished to exhibit the works of Ron Mueck, an Australian sculptor, who lives and works inGreat Britain. The artist produces incredibly realistic special effects to create his works – sculptures that reproduce the details of the human body with such great precision that, were it not for size, they would be mistaken for real people.

When Hervé told me that Ron Mueck had been invited to show his new sculpture at the Fondation Cartier pour l’art contemporain, in April 2013, I took the idea to Adriana Rosenberg, Director of Fundación Proa, our partner in important exhibitions, and to Bruno Assami, who is always involved in our projects. Both are great admirers of Ron Mueck´s work. We presented the project to Organização Techint | Tenaris, our sponsor and one of the major promoters of culture inArgentinaandBrazil, and they immediately embraced it.

In addition to six important recent sculptures, the exhibition includes three that were produced especially for this event. A new film documenting their creation was made by Gautier Deblonde for this occasion. Revealing the reclusive artist at work further emphasizes the sensitivity and power of Ron Mueck’s sculpture and highlights its particular significance in our days.

Early in his career, Mueck created puppets and props for TV as well as children’s films. Later, he founded his own company, inLondon, and worked in advertising. The artist´s objective is to create sculptures that are increasingly realistic. He plays with scale to produce visual images that are larger than life.

The exhibition opened in April 2013, at the Fondation Cartier pour l’Art Contemporain, in Paris, receiving over 300,000 visitors, and then at the Fundación Proa, in Buenos Aires. It now arrives at the Museu de Arte Moderna doRio de Janeiro, closing its exhibition cycle in June. We are certain that it will be a great success of public and critique, and one of the most important exhibitions of recent years.

Finally, I would once again like to thank Organização Techint | Tenaris and all the collectors who loaned works for this exhibition; as well as Hervé Chandès, General Director of the Fondation Cartier pour l’art contemporain and Grazia Quaroni, curator; our sponsors and partners, the staff at MAM, Charles Clark and all those who helped make this exhibition a reality, and our special thanks also to Anthony d’Offay.

Carlos Alberto Gouvêa Chateaubriand

President

Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro

-

In 2013, Ron Mueck was invited to exhibit his sculptures at Fondation Cartier pour l’Art Contemporain inParis. That exhibit was showcased in its entirety at Fundación Proa, inBuenos Aires,Argentina, and is now shown at the Museu de Arte Moderna doRio de Janeiro. A Ron Mueck exhibition is a rare event. Based in London, Ron Mueck has had highly acclaimed exhibitions around the world from Japan to Australia, New Zealand and Mexico, but shows of his new work in Europe have not been frequent occurrences. Mueck works slowly in his smallNorth Londonstudio, making time itself an important element in his creative process. His human figures are meticulously detailed, with surprising changes of scale that place them as far from academic realism as they are from pop art or hyperrealism.

Three new sculptures are exhibited in this context for the first time: two teenagers in the street, a mother and baby and an elderly couple on the beach. They seem to be frozen moments of life, each capturing the relationship between two human beings. The nature of their connection to each other is revealed by their actions, small, ordinary, yet intriguing. The precision of their gestures, the true-to-life rendering of their flesh, the suggestion of suppleness in their skin makes them seem completely real. These works describe situations which are imaginary but their obsession with truth indicates an artist in search of perfection and with an acute sensibility to form and material. By pushing likeness to its limits Mueck creates works that are secret, meditative and mysterious.

Illuminating universal truths. These subjects that appear so ordinary also radiate a spirituality and profound humanity that provokes a response. Aiming well beyond the traditions of portraiture Mueck reveals the uncanny nature of our relationship to body and existence.

Ron Mueck has revitalized contemporary figurative sculpture. Ron Mueck makes use of a rich diversity of sources such as press photographs, comic strips or historical masterpieces, Proustian memories or ancient fables and legends. Still Life (2009) fits into the classical ‘nature morte’ tradition, the Woman with Sticks (2008), bent backwards beneath her armful of wood, recalls tales of witchcraft. Drift (2009) and Youth (2009) seem to be inspired by newspaper headlines, although they also evoke works from the past. In other Ron Mueck sculptures like the big sleeping self-portrait, Mask II (2001-2002), dreams come bursting into reality.

This very private, creative process is revealed in a new film untitled Still Life: Ron Mueck at Work, by Gautier Deblonde. A documentary has been produced for this exhibition at the Fondation Cartier pour l’art contemporain. Shot daily in Ron Mueck’s studio as he produced the new works for the exhibition, this intimate film gives us an incredible opportunity to observe the artists’s very personal creative process.

Lei de Incentivo à Cultura
Patrocínio: Organização Techint, Tenaris
Apoio: Fondation Cartier pour l’art contemporain, Paris; Fondation Cartier pour l’art contemporain, Paris; Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro
Realização: Arte Marca, Governo Federal
Concebida por Fondation Cartier pour l’art contemporain, Paris
Curadoria: Hervé Chandès e Grazia Quaroni
Direção executiva: Bruno Assami
Organização e produção: Fondation Cartier pour l’art contemporain, Paris  | Ron Mueck Studio, Londres  |  ArteMarca, São Paulo  |  Fundación Proa, Buenos Aires  |  Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro
Colecionadores: Ron Mueck, Londres  |  Anthony d’Offay Ltd., Londres  |  Caldic Collectie, Wassenaar, Holanda  |  Hauser & Wirth, Londres e Zurich  |  Fondation Cartier pour l’art contemporain, Paris  | Coleções privadas
Desenho expositivo, montagem, conservação e registro de obras
Ron Mueck Studio, Londres  |  Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro
Compartilhe

  • Mantenedores