Exposições

> ATUAIS

Ações, estratégias e situações na coleção do MAM

28 de Fevereiro a 10 de Maio de 2015

“Ações, estratégias e situações…” reúne histórias da arte brasileira e estrangeira que, segundo o artista argentino Luis Camnitzer, devem ser medidas com relógios diferentes, embora tenham em comum a mesma emergência relativamente à modificação dos lugares tradicionais da arte.

Há, nas coleções do MAM-Rio, um foco na produção de artistas que reinterpretaram o lugar da obra (a sua presença artística), no qual o objeto cede a sua relevância à linguagem ou à experiência. Esta exposição dirige-se a essas problemáticas sem pretender cunhar o termo “conceitual” aos artistas aqui reunidos, mas reunindo diversos materiais que questionam algumas noções aceitas e tradicionais do campo da arte, especialmente até aos anos 60, tais como objeto, instituição, circuito, recepção e história.

O horizonte temporal vai desde a poesia experimental e concreta no Brasil (Décio Pignatari, Cloaca, 1957), momento fértil da flutuação visual do significado e do significante, até ao contrato de Marcius Galan (Obra de arte em 5 vias, 2012) acerca da composição do sistema de arte e a sua análise crítica. Neste recorte foram privilegiadas as “ações, estratégias e situações” utilizadas na elaboração das obras, o que reuniu dois tipos de objetos que, na vida da instituição, ainda vêm sendo estudados e tratados de forma separada: obras de arte e documentos.

A proposta é reforçar as diversas formas de enunciação da arte para além dos suportes tradicionais (pintura, escultura, etc.), testemunhando o comprometimento do MAM com propostas experimentais a partir dos anos 60 (Salão Bússola, Sala Experimental), e o situando na virada conceitual da arte dessas décadas. Um momento de contributos expressivos para a arte dos dias de hoje, em que os artistas retiraram a ênfase no objeto físico como lugar privilegiado da relação com o espectador, elevaram a concepção da obra de arte acima de sua execução material e promoveram o seu caráter desmaterializado, precário e temporário.

Um dado importante da produção aqui reunida é a atenção à narrativa da experiência e à reescrita da história. Muitos artistas começam a fazer uso expressivo do “documento” que já não é mais algo exterior ao acontecimento histórico, mas uma matéria passível de ser modificada. O artista é um novo “historiador” atuando por meio de uma crítica institucional, como pela sua capacidade de questionar e potencializar as formas de registro.

As fronteiras entre obra e documento se friccionam nos materiais presentes nesta exposição: poema impresso, livro, fotografia, fotocópia, cartaz, documentação, contrato, proposição e maquete.

“Ações, estratégias e situações…” é convite a olhar os diferentes tipos de acervo do museu, sem hierarquias nem prevalências, tratados num mesmo plano, para uma conversa comum.

 

Marta Mestre

-

“Actions, strategies, and situations…” brings together stories of Brazilian and foreign art, which, according to Argentinean artist Luis Camnitzer, should be measured using different gauges, even though they are equally in a state of emergency in response to the changes in the traditional places of art.

In the MAM-Rio collections there is a focus on the output of artists who have reinterpreted the place of the artwork (its artistic presence), with the object yielding its importance to language or experience. This exhibition addresses these issues without intending to dub the selected artists as “conceptual,” but rather with the idea of bringing together a diversity of materials that cast into question some of the traditional, accepted notions from the field of art, especially until the 1960s, like object, institution, circuit, reception, and history.

The time frame stretches from Brazil’s experimental and concrete poetry (Décio Pignatari, Cloaca, 1957), a fertile time for the visual fluctuation of signifier and signified, to Marcius Galan’s contract (Obra de arte em 5 vias [Artwork in 5 copies], 2012), which addresses the nature of the art system and its critical analysis. From this period, we give precedence to the “actions, strategies, and situations” used in developing the works, which means two types of object are included that are still dealt with and studied separately in the institutional context: works of art and documents.

The proposition is to reinforce the different forms of art statement beyond traditional supports (painting, sculpture, etc.), bearing witness to MAM’s commitment to experimental propositions since the 1960s (e.g. the exhibitions Salão Bússola [Compass Salon] and Sala Experimental [Experimental Room]), and situating it in the conceptual turn art took at that time. A time when important groundwork was laid for the art of today, when artists diverted attention away from the physical object as the primary locus of the relationship with the viewer, raised the conception of the artwork above its material execution, and gave it a dematerialized, precarious, temporary nature.

One important feature of the works on display here is the attention to the narrative of experience and the rewriting of history. Many artists have started to make expressive use of the “document”, which has ceased to be external to historical events, but something that can be modified. Artists are new “historians” operating through institutional criticism and theircapacity to question and empower different types of records.

There is some friction at the interfaces between artwork and document in the materials present here: printed poem, book, photograph, photocopy, poster, documentation, contract, proposal, and mock-up.

“Actions, strategies, and situations…” is an invitation to observe the different kinds of archive held at the museum, which are dealt with on the same plane without any hierarchy or relative importance to share in the same conversation.

Marta Mestre

 

Patrocinadores: Lei de Incentivo à Cultura e mantenedores do MAM.

Compartilhe

  • Mantenedores