CINEMATECA

> ATUAIS

Julho 2016

Centenário de Jurandyr Noronha + Lançamento de Strovengah – Amor torto + 400 anos de Shakespeare + Brisseau + Irmãos Dardenne

Centenário de Jurandyr Noronha

Jurandyr Passos Noronha (1916-2015) foi um apaixonado pela sétima arte, Santos Dumont, máquinas cinematográficas e pelo Brasil, sempre visto pelas lentes das câmaras. Seus interesses se plasmaram inicialmente em uma carreira que passou pela imprensa, como crítico e articulista, e pela realização cinematográfica, onde assinou documentários, cine biografias dirigidas quase sempre aos pioneiros do cinema brasileiro e filmes de compilação de nossa história cinematográfica e político-social-cultural. Em um segundo momento tornou-se um pioneiro defensor da constituição de um museu de cinema no país, iniciativa que o levou a formar a primeira coleção de aparatos cinematográficos relacionados à nossa criação fílmica, e um notável pesquisador de referência, sistematizando dados e imagens relativos à atuação de técnicos, realizadores e atores em inúmeras publicações, sendo pioneiro da criação de cr-roms voltados para a área no Brasil. Para celebrar seu centenário de nascimento a Cinemateca apresenta uma pequena exposição de equipamentos, o lançamento de seu último livro, dedicado a compilar a presença dos estrangeiros em meio à criação cinematográfica brasileira, e uma retrospectiva de parte de sua obra fílmica.

 

Lançamento de Strovengah – Amor torto

Definido por seu autor como “um filme de bonecos macabros e um casal em crise”, o Em cartaz deste mês coloca em evidência mais um filme brasileiro de qualidade preterido pelo mercado, Strovengah – Amor Torto, de André Sampaio, um dos mais talentosos realizadores de sua geração. Partindo de um argumento de Luís Paulino dos Santos e explorando com habilidade e horror o cotidiano crescentemente misterioso que cerca a mudança de um casal para uma região isolada da serra fluminense, o filme traz em seu elenco o mítico Otoniel Serra, recentemente falecido, e a extraordinária Rose Abdallah, em uma de suas grandes interpretações. Primeiro vôo solo de Sampaio, que anteriormente havia dirigido alguns curtas clássicos como O palhaço Xupeta e Polêmica e assinado com outros colegas de universidade Conceição – Autor bom é autor morto, é a continuidade natural de suas obsessões pelo cinema “marginal” dos anos 1970, pelos gêneros e pela invenção cinematográfica.

 

400 anos de Shakespeare

Considerado o autor mais adaptado pelo cinema, com mais de mil transposições diretas de sua obra teatral, William Shakespeare está sendo alvo de inúmeras comemorações ao redor do mundo por conta dos 400 anos de sua morte. Juntando-se às celebrações o Cineclube Parque do Flamengo apresenta uma pequena seleção onde se destacam títulos menos óbvios e ainda assim bastante populares, que funcionam mais como apropriações e multiplicações dos jogos de poder e sedução propostos pelo bardo inglês do que transcrições literais dos mais famosos textos.

 

Brisseau + Irmãos Dardenne

Colocadas nas antípodas do cinema contemporâneo, as obras de Jean-Claude Brisseau e dos irmãos Jean-Pierre e Luc Dardenne apresentam um questionamento radical em torno do realismo cinematográfico e seus compromissos e comprometimentos, sua sobrevivência ou não, em tempos cada vez mais fugazes e rebarbativos. Brisseau destacou por um cinema violento, erótico, transgressivo, questionador das convenções em uma época que se tornou imensamente convencional e conservadora. Os Irmãos Dardenne recuperam mais uma vez, em filmes premiados em festivais como Cannes e Berlim, a vida dos deserdados da sorte e dos holofotes, em seus pequenos dramas cotidianos e em sua força de superação frente ao furacão neo-liberal. A pequena seleção de seus filmes apresentada pela Cinemateca partiu da sugestão do Professor Wouter Hessels, que introduzirá e debaterá quatro títulos e ainda fará uma conferência sobre a obra dos Dardenne.

 

 

sex 1

18h30 – Revisão histórica – Aula sobre José Carlos Burle, com o professor Rafael de Luna Freire.

Classificação indicativa Livre

 

sab 2

14h – Cineclube Parque do Flamengo: 400 anos de Shakespeare – Homem Mau Dorme Bem (Warui Yatsu Hodo Yoku Nemuru) de Akira Kurosawa. Japão, 1960. Com Toshiro Mifune e Kyoko Kagawa. 150’. Baseado em Hamlet. Legendas em português. Exibição em MP4.

Classificação indicativa 10 anos

 

17h – Risco Cinema: Trans(a)bordagens – Filmes de Joel Pizzini – Glauces – Estudo de um rosto. Brasil, 2001. Documentário experimental. 30’. Exibição em 35mm. Elogio da graça. Brasil, 2006. Ensaio. 26’. Exibição em 35mm. Mar de fogo. Brasil, 2014. Ensaio. 5’. Exibição em H264. Último trem. Brasil, 2014. Experimental. 3’. Exibição em H264. Sessão seguida de performance com BV e debate com o realizador e a pesquisadora Fernanda Rocha Miranda.

Classificação indicativa 10 anos

 

dom 3

15h – Brisseau – Céline (Céline) de Jean-Claude Brisseau. França, 1992. Com Isabelle Pasco e María Luisa García. 88’. Legendas em Português. Exibição em 35mm.

Classificação indicativa 18 anos

 

17h – Brisseau – Um jogo brutal (Un jeau brutal) de Jean-Claude Brisseau. França, 1983. Com Bruno Cremer e Emmanuelle Debever. 90’. Legendas em português. Exibição em DVD.

Classificação indicativa 18 anos

 

ter 5

18h30 – Brisseau – De som e de fúria (De bruit et de fureur) de Jean-Claude Brisseau. França, 1988. Com Bruno Cremer e François Négret.  95’. Legendas em português. Exibição em 35mm.

Classificação indicativa 16 anos

 

qua 6

18h30 – Homenagem a Gilberto Santeiro – Cordiais saudações de Gilberto Santeiro. Brasil, 1968. Documentário. 10’. Exibição em 16mm. Sessão seguida do lançamento do livro “Gilberto Santeiro: dos que matam e morrem por cinema”.

Classificação indicativa Livre

 

qui 7

16h – Sessão Pianeiro – Lírio partido (Broken blossoms or the yellow man and the girl) de David Wark Griffith. EUA, 1919. Com Lillian Gish e Richard Barthelmess. 90’. Legendas em português. Exibição em Blu-ray.

Classificação indicativa 14 anos

18h30 – Brisseau – Coisas secretas (Choses secrètes) de Jean-Claude Brisseau. França, 2002. Com Coralie Revel e Sabrina Seyvecou.  115’. Legendas em português. Exibição em 35mm.

Classificação indicativa 18 anos

 

sex 8

18h30 – Brisseau – Os anjos exterminadores (Les anges exterminateurs) de Jean-Claude Brisseau. França, 2006. Com Maroussia Dubreuil e Lyse Bellinck.  100’. Legendas em português. Exibição em 35mm.

Classificação indicativa 18 anos

 

sab 9

14h – Cineclube Parque do Flamengo: 400 anos de Shakespeare – Fatalidade (A double life) de George Cuckor. EUA, 1947. Com Ronald Colman, Signe Hasso e Shelley Winters. 104’. Baseado em Otelo. Legendas em português. Exibição em MP4.

Classificação indicativa 14 anos

 

17h – Brisseau – Boda branca (Noce blanche) de Jean-Claude Brisseau. França, 1988. Com Bruno Cremer e Vanessa Paradis.  92’. Legendas em português. Exibição em 35mm.

Classificação indicativa 16 anos

 

19h – CineMAM #4 – O peixe está assando… Estamos todos bem! de Jacqueline Durans e Rafael Mattos. Pré-estréia. Brasil, 2016. Com Gerson Fontes e Léllah Hammer. 18’. Exibição em H264. 111 de André Lemos e Reinaldo Júnior. Brasil, 2016. Com André Lemos e Elmir Mateus. 7’. Exibição em H264. Salomé de Igor Cabral. Brasil, 2010. Com Débora Melo, Eduardo Tornaghi e Felipe Cataldo. 23’. Exibição em H264. Terra de lobos de Frederico Cardoso. Brasil, 2001. Com Daniel Barbosa e Rafael Prata Duarte. 7’. Exibição em 16mm. Obrigada! de Giancarlo di Tommaso. Brasil, 2010. Com Eloísa Mafalda e André Ramiro. 6’. Exibição em 35mm. De janela pro cinema de Quiá Rodrigues. Brasil, 1999. Animação. Com as vozes de Beth Bruno e Sérgio Brito. 14’. Exibição em 35mm. Sessão seguida de debate com os realizadores.

Curadoria Felipe Cataldo

Classificação indicativa 14 anos

 

dom10

15h – Brisseau – À aventura (À l’aventure) de Jean-Claude Brisseau. França, 2008. Com Carole Brana e Arnaud Binard.  104’. Legendas em português. Exibição em 35mm.

Classificação indicativa 18 anos

 

17h – Brisseau – A garota de lugar nenhum (La femme de nulle part) de Jean-Claude Brisseau. França, 2012. Com Virginie Legeay e Claude Morel.  91’. Legendas em português. Exibição em MP4.

Classificação indicativa 18 anos

 

seg 11

 

19h – Pré-estréia – Strovengah – Amor Torto de André Sampaio. Brasil, 2011. Com Otoniel Serra, Rose Abdallah e José Marinho. 90’.

Classificação indicativa 14 anos

 

ter 12

18h30 – Em cartaz – Strovengah – Amor Torto de André Sampaio. Brasil, 2011. Com Otoniel Serra, Rose Abdallah e José Marinho. 90’.

Classificação indicativa 14 anos

 

 

qua 13

17h – Em cartaz – Strovengah – Amor Torto de André Sampaio. Brasil, 2011. Com Otoniel Serra, Rose Abdallah e José Marinho. 90’.

Classificação indicativa 14 anos

 

qui 14

18h30 – Em cartaz – Strovengah – Amor Torto de André Sampaio. Brasil, 2011. Com Otoniel Serra, Rose Abdallah e José Marinho. 90’.

Classificação indicativa 14 anos

 

qui 16

18h30 – Em cartaz – Strovengah – Amor Torto de André Sampaio. Brasil, 2011. Com Otoniel Serra, Rose Abdallah e José Marinho. 90’.

Classificação indicativa 14 anos

 

sex 15

18h30 – Em cartaz – Strovengah – Amor Torto de André Sampaio. Brasil, 2011. Com Otoniel Serra, Rose Abdallah e José Marinho. 90’.

Classificação indicativa 14 anos

 

sab 16

14h – Cineclube Parque do Flamengo: 400 anos de Shakespeare – Muito barulho por nada (Much ado about nothing) de Joss Whedon. EUA, 2012. Com Amy Acker e Alex Denisof. 108’. Baseado em Muito barulho por nada. Legendas em português. Exibição em MP4.

Classificação indicativa 12 anos

 

17h – Em cartaz – Strovengah – Amor Torto de André Sampaio. Brasil, 2011. Com Otoniel Serra, Rose Abdallah e José Marinho. 90’.

Classificação indicativa 14 anos

 

dom 17

17h – Em cartaz – Strovengah – Amor Torto de André Sampaio. Brasil, 2011. Com Otoniel Serra, Rose Abdallah e José Marinho. 90’.

Classificação indicativa 14 anos

 

seg 18

19h – Pré-estréia Curtas Brasileiros: Cinzas e café de Daniel Gravelli. Brasil, 2015. Com Júlia Souza e Andrea Schiavone. 21’. Exibição em H264. Clara de Helvécio Parente. Com Fe Faria, Zeca Carvalho e Eduardo Drysdale. 15’. Exibição em H264. Sessão seguida de debate com os realizadores.

Classificação indicativa 10 anos

 

ter 19

14h – Exposição “Para Jurandyr”. Inauguração da Galeria Jurandyr Noronha com exposição de equipamentos audiovisuais (cinema, vídeo, televisão e digital) no corredor do Bloco Escola. Curadoria Hernani Heffner e José Roberto Messias de Morais

Classificação indicativa Livre

 

16h – Centenário de Jurandyr Noronha – Lançamento do livro “Estrangeiros no Cinema Brasileiro”, seguida de tarde de autógrafos com João Luiz Vieira, Máximo Barros e Luís Carlos Lacerda.

18h – Centenário de Jurandyr Noronha – Exposição biográfica no corredor de acesso à sala Cosme Alves Netto e exibição de Uma alegria selvagem. Brasil, 1966. Documentário. 14’. A Belle Époque da aviação brasileira. Brasil, 1969. Documentário. 9’. Oswaldo Cruz. Brasil, 1973. Documentário. 14’. Exibição em 35mm. Sessão seguida do debate “O Legado de Jurandyr”, com a participação de Máximo Barro, Arnaldo Niskier e Hernani Heffner.

Sessão seguida de coquetel.

Classificação indicativa Livre

 

qua 20

18h – Centenário de Jurandyr Noronha – Almas em tumulto. Brasil, 1949. Inacabado. Fragmentos. Com Fernando Villar e Sílvia Fernanda. 10’. Indústria farmacêutica no Brasil. Brasil, 1948. Documentário. 29’. Associação Cristã Feminina do Rio de Janeiro. Brasil, 1955. Documentário. 6’. A medida do tempo. Brasil, 1958. Documentário. 11’. O cinegrafista de Rondon. Brasil, 1979. Documentário. 9’. Teatro Recreio. Brasil, 1981. Documentário. 10’. Exibição em 16mm e 35mm. Classificação indicativa Livre

 

qui 21

18h30 – Sala Escura – O grito (El grito) de Leobardo López Arretche. México, 1968. Documentário. 102’. Versão original sem legendas. Exibição em MP4.

Classificação indicativa 14 anos

 

sex 22

17h Centenário de Jurandyr Noronha – Cômicos… + Cômicos… de Jurandyr Noronha. Brasil, 1971. Com Paulo Silvino, Rafael de Carvalho e Wilza Carla. 86’. Exibição em 35mm.

Classificação indicativa Livre

 

sab 23

14h – Cineclube Parque do Flamengo: 400 anos de Shakespeare – Hamlet vai à luta (Hamlet liikemaailmassa) de Aki Kausrimäki. Finlânida, 1987. Com Pirka-Pekka Petelius e Esko Salminen. 86’. Legendas em português. Exibição em MP4.

Classificação indicativa 14 anos

 

17h – Centenário de Jurandyr Noronha – Panorama do Cinema Brasileiro de Jurandyr Noronha. Brasil, 1968. Documentário de compilação. 127’. Exibição em 35mm.

Classificação indicativa Livre

 

dom 24

15h – Centenário de Jurandyr Noronha – Berlim na batucada de Luís de Barros. Brasil, 1944. Com Delorges Caminho, Procópio Ferreira e Francisco Alves. 80’. Exibição em 35mm.

Classificação Livre

 

17h – Centenário de Jurandyr Noronha – 70 anos de Brasil (Da Belle Époque aos Nossos Dias) de Jurandyr Noronha. Brasil, 1972. Documentário de compilação. 70’. Exibição em 35mm.

Classificação indicativa Livre

 

seg 25

19h – Pré-estréia Curtas Brasileiros: Soldado de uma guerra vazia de Paulo Olivera. Brasil, 2015 Com Andrea Schiavone, Helga Nemeczyk e Adriana Rabelo. 14’. Exibição em H264. No carnaval vale tudo de Helvécio Parente. Brasil, 2016. Com Amanda Felicori, Renato Krueger e Mariana Queiroz. 6’. Exibição em H264. A delirante historia de um homem morto de Daniel Gravelli. Brasil, 2015. Com Paulo Olivera e Helga Nemeczyk. 15’. Exibição em H264. Sessão seguida de debate com os realizadores.

Classificação indicativa 10 anos

 

ter  26

10h – O cinema humanista dos Irmãos Dardenne – A promessa (La Promesse) de Jean-Pierre e Luc Dardenne. Bélgica/França/Luxemburgo/Tunísia, 1996. Com Jérémie Renier e Olivier Gourmet. 90’. Legendas em português. Exibição em MP4. Sessão precedida de apresentação e seguida de debate com o prof. Wouter Hessels, Coordenador do Royal Institute of Theatre, Cinema and Sound da Bélgica.

Classificação indicativa 12 anos

 

 

qua 27

14h30 – O cinema humanista dos Irmãos Dardenne – Rosetta de Jean-Pierre e Luc Dardenne. França/Bélgica, 1999. Com Émilie Dequenne e Fabrizio Rongione. 95’. Legendas em português. Exibição em MP4. Sessão precedida de apresentação e seguida de debate com o prof. Wouter Hessels, Coordenador do Royal Institute of Theatre, Cinema and Sound da Bélgica.

Classificação indicativa 14 anos

 

 

qui  28

10h Conferência “O cinema humanista dos Irmãos Dardenne”, pelo prof. Wouter Hessels, Coordenador do Royal Institute of Theatre, Cinema and Sound da Bélgica.

 

14h30 – O cinema humanista dos Irmãos Dardenne – Dois dias, uma noite (Deux jours, une nuit) de Jean-Pierre e Luc Dardenne. Bélgica/França/Itália, 2014. Com Marion Cotillard e Fabrizio Rongione. 95’. Legendas em português. Exibição em MP4. Sessão precedida de apresentação e seguida de debate com o prof. Wouter Hessels, Coordenador do Royal Institute of Theatre, Cinema and Sound da Bélgica.

Classificação indicativa 14 anos

 

19h – Sessão Plano – 007 ½ no Carnaval de Vitor Lima. Brasil, 1966. Com Chacrinha, Costinha e Annik Malvil. 103’. Exibição em 16mm. Sessão seguida de debate.

Classificação indicativa Livre

 

sex 29

14h30 – O cinema humanista dos Irmãos Dardenne – O filho (Le fils) de Jean-Pierre e Luc Dardenne. Bélgica/França, 2002. Com Olivier Gourmet e Morgan Marinne. 103’. Legendas em português. Exibição em MP4. Sessão precedida de apresentação e seguida de debate com o prof. Wouter Hessels, Coordenador do Royal Institute of Theatre, Cinema and Sound da Bélgica.

Classificação indicativa 14 anos

 

sab 30

14 – Cineclube Parque do Flamengo – Noite insana (All night long) de Basil Dearden. Grã-Bretanha, 1962. Com Patrick Macgoohan e Richard Attenborough. 87’. Legendas em português. Exibição em MP4.

Classificação indicativa 16 anos.

 

17h – O cinema humanista dos Irmãos Dardenne – A criança (L’enfant) de Jean-Pierre e Luc Dardenne. Bélgica/França, 2005. Com Jérémie Rénier e Deborah François. 95’. Legendas em português. Exibição em MP4.

Classificação indicativa 12 anos

 

dom 31

 

15h – O cinema humanista dos Irmãos Dardenne – O garoto da bicicleta (Le gamin au vélo) de Jean-Pierre e Luc Dardenne. Bélgica/França/Itália, 2011. Com Thomas Doret e Cécile de France. 87’. Legendas em português. Exibição em MP4.

Classificação indicativa 14 anos

17h – O cinema humanista dos Irmãos Dardenne – O silêncio de Lorna (Le silence de Lorna) de Jean-Pierre e Luc Dardenne. Bélgica/França, 2008. Com Arta Dobroshi e Jérémie Rénier. 105’. Legendas em português. Exibição em MP4.

Classificação indicativa 14 anos