CINEMATECA

> ATUAIS

Agosto 2015

Cinemateca 60 Anos + Frank Sinatra – A Voz no Cinema + Risco Cinema e Cineclube Cinead

Cinemateca 60 Anos

Continuação da mostra em comemoração aos 60 anos de criação da Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, ocorrida a 7 de julho de 1955. Neste mês, além de clássicos do cinema brasileiro e mundial, apresentaremos uma homenagem ao fundador Ruy Pereira da Silva e três mesas redondas em torno da história da instituição.

Frank Sinatra – A Voz no Cinema

Curadoria – Mário Abbade e Ricardo Cota.

exposição 18 ago – 6 set 2015
Homenagem ao centenário de nascimento de um dos mais importantes cantores da música popular estadunidense e um dos astros mais populares do cinema de Hollywood entre os anos 40 e 70 do século passado. Ganhador do Oscar de Melhor Ator Coadjuvante pelo clássico A um passo da eternidade colecionou sucessos musicais e de interpretação, muitos dos quais elogiados pela crítica especializada.

Risco Cinema e Cineclube Cinead

Dois novos cineclubes passam a realizar sessões mensais na Cinemateca, juntando-se aos veteranos Sala Escura, dedicado às cinematografias latino-americanas, e Sessão Plano, voltado para o cinema brasileiro. O Risco Cinema apresentará obras nacionais e estrangeiras que fogem aos cânones mais tradicionais, explorando a experimentação artística nas mais diferentes dimensões. O Cinead é um projeto/laboratório da Faculdade de Educação da UFRJ voltado para a pesquisa pedagógica com o cinema no ensino fundamental. O novo cineclube também apresentará e discutirá filmes brasileiros.

 

sab 1

14h – Rio no Cinema: Como ser solteiro, de Rosana Svartman. Brasil, 1998. Com Heitor Martinez Mello, Ernesto Piccolo, Cássia Linhares e Rosana Garcia. 93’.

Cláudio e Ricardo estão às voltas com as dificuldades amorosas da juventude. As sucessivas experiências levam Ricardo a escrever um manual intitulado “Como ser solteiro no Rio de Janeiro”, não muito bem recebido pelas jovens.

Classificação indicativa – 12 anos.

16h – Rio no Cinema: Vai trabalhar vagabundo, de Hugo Carvana. Brasil, 1973. Com Hugo Carvana, Odete Lara, Paulo César Peréio, Nelspn Xavier e Wilson Grey. 95’.

Ao sair da cadeia Dinho se depara com o que parece ser o fim da malandragem carioca. Entre bares, rápidos casos amorosos e a falta de dinheiro, tenta promover uma partida histórica entre os dois maiores jogadores de sinuca do Rio de Janeiro.

Classificação indicativa – 12 anos.

 

18h – Risco Cinema: Santoscópio = Dumontagem, Santos Dumont pré cineasta? e Sem Título # 1: Dance of Leitfossil, de Carlos Adriano. Brasil, 2007-9, 2007-10 e 2013-4. 14, 63 e 5 min.

O longa é um ensaio desenvolvido a partir da descoberta de desconhecido carretel londrino para Mutoscópio com e sobre Santos Dumont.  O primeiro curta reapropia o filme original, “Santos Dumont explaining his airship to Hon. C. S. Rolls” (1901), e o segundo integra a série “Apontamentos para uma AutoCineBiografia (em Regresso)”.

Classificação indicativa – 14 anos.

19:30h – Debate Risco Cinema, com a participação do realizador Carlos Adriano e do professor João Luiz Vieira. Mediação de Lucas Murari

dom 2

14h – Cinemateca 60 Anos I: Soberba (The magnificent Ambersons), de Orson Welles, Fred Fleck e Robert Wise. EUA, 1942. Com Joseph Cotten, Dolores Costello, Tim Holt, Anne Baxter e Agnes Moorhead. 88’.

Herdeiro da decadente Mansão Amberson tenta impedir aproximação entre a mãe e uma paixão de juventude. Famosa versão repudiada por Welles por suas alterações de montagem e acréscimo de um final feliz realizado pelos dois outros diretores.

Classificação indicativa – 12 anos.

 

16h – Cinemateca 60 Anos II: Ran, de Akira Kurosawa. Japão/França, 1985. Com Tatsuya Nakadai, Akira Terao, Jinpachi Nezu, Daisuke Ryû e Mieko Harada. 162’.

Adaptação do Rei Lear de Shakespeare por Akira Kurosawa.

Classificação indicativa – 12 anos.

ter 4

18h – Rio no Cinema: Copacabana, de Carla Camurati. Brasil, 2001. Com Marco Nanini, Laura Cardoso, Walderez de Barros, Myriam Pires e Ida Gomes. 100’.

Prestes a completar 90 anos, o fotógrafo Alberto revê com bom humor e nostalgia sua vida e o bairro onde mora, Copacabana.

Classificação indicativa – 14 anos.

 

20h – Cinemateca 60 Anos III: O jogador (The player), de Robert Altman. EUA, 1992. Com Tim Robbins, Gretta Scacchi, Fred Ward, Whoopi Goldberg e Peter Gallegher. 124’.

Produtor de cinema insecrupuloso é chantageado por roteirista anônimo, o que expõe os bastidores sórdidos da indústria cinematográfica hollywoodiana.

Classificação indicativa – 14 anos.

 

qua 5

18h – Cinemateca 60 anos – Homenagem a Ruy Pereira da Silva: O grande rio, Arte no Brasil hoje e Brasília, capital do século, de Gérson Tavares. Brasil, 1959. 10’, 11’ e 11’. Versões originais, salvo o segundo narrado em inglês com legendas em português.

Ruy Pereira da Silva foi a pessoa por trás da idéia da criação de uma cinemateca de nível internacional na então capital federal, dirigindo–a executivamente em seus primeiros anos. A sessão se compõe de uma homenagem ao publicitário, produtor, dirigente e preservador, apresentado alguns dos trabalhos realizados por sua empresa, a Procine, que ajudou na constituição do segundo arquivo de filmes a surgir no Brasil, em 1955.

Classificação indicativa – livre.

 

19h – Cinemateca 60 Anos: [O Festival de Cinema Americano]. Brasil, 1958. Fragmento. 10’.

Debate: As origens da Cinemateca do MAM, com a participação de Ruy Pereira da Silva, Walter Lima Jr., Alice Pougy e Sérgio Sanz. Mediação de Rafael de Luna Freire.

Classificação indicativa – livre.

 

qui 6

18h – Cinemateca 60 Anos V: Kafka, de Steven Soderbergh. França/EUA, 1991. Com Jeremy Irons, Theresa Russell, Joel Grey, Ian Holm e Alec Guinness. 98’.

O escritor Kafka se vê enredado em fatos similares aos do livro que está criando. Gótica adaptação de elementos biográficos da vida de Franz Kafka e de seu último livro, o inacabado O castelo.

Classificação indicativa – 10 anos.

 

20h – Cineclube Sala Escura: Redes de Fred Zinnemann e Emilio Gomez Muriel. México, 1936. Com Silvio Hernandez, Rafael Hinojosa. 65’.

A história dos direitos trabalhistas entre os pobres pescadores de um vilarejo mexicano.

Classificação indicativa – 10 anos.

 

sex 7

18h – Cinemateca 60 Anos VI: Mal dos trópicos (Sud Pralad), de Apichatpong Weerasethakul. Tailândia/França/Alemanha/Itália, 2004. Com Banlop Lomnoi e Sakda Kaewbuadee. 118’.

Díptico com dois soldados que se envolvem respectivamente em uma aventura romântica e em uma aventura fantástica. O título original refere à idéia do “monstro” e remete tanto ao cinema de horror tailandês quanto aos clássicos de Jacques Tourner.

Classificação indicativa – 14 anos.

 

20h – Cinemateca 60 Anos VII: Ironweed, de Herctor Babenco. EUA, 1987. Com Jack Nicholson, Meryl Streep, Carroll Baker, Michael O’Keefe e Diane Venora. 143’.

No rescaldo na grande depressão na década de 1930 nos Estados Unidos, dois “perdedores” voltam à cidade natal e revêem suas vidas e seus fantasmas.
Classificação indicativa – 14 anos.

 

sab 8

14h – Rio no Cinema: Cazuza, o tempo não para, de Sandra Werneck e Walter Carvalho. Brasil, 2004. Com Daniel de Oliveira, Marieta Severo, Reginaldo Faria, Andrea Beltrão e Leandra Leal. 98’.

Cinebiografia do músico Agenor de Miranda Araújo Neto, mais conhecido como Cazuza (1958-1990), abordando a ascensão artística, o envolvimento com drogas e a infecção pela Aids.

Classificação indicativa – 16 anos.

 

16h – Rio no Cinema: Bete Balanço, de Lael Rodrigues. Brasil, 1984. Com Débora Bloch, Lauro Corona, Diogo Vilela, Maria Zilda e Hugo Carvana. 78’.

A história de Bete, que deixa Governador Valadares disposta a tudo em busca da fama e do sucesso como cantora na grande cidade. Filme que consagrou o BRock e catapultou para o estrelato musical o grupo Barão Vermelho.

Classificação indicativa – 16 anos.

 

18h – Cinemateca 60 Anos VIII: O boxeador e a morte (Boxer a smrt), de Peter Solan. Tchecoslováquia, 1963. Com Stefan Kvietik, Manfred Krug, Valentina Tielová e Józef Kondrat. 120’.

O estoico soldado eslovaco Kominek serve como sparring de Kraft, comandante de um campo de concentração nazista e boxeador amador, oscilando entre a sobrevivência, a dignidade e a humilhação.

Classificação indicativa – 14 anos.

 

dom 9

14h – Cinemateca 60 Anos IX: Trens estreitamente vigiados (Ostre sledované vlaky), de Jirí Menzel. Tchecoslováquia, 1966. Com Vacláv Neckár, Josef Somr, Vlastimil Brodský, Vladimír Valenta e Jtika Scoffin. 93’.

Aceito como aprendiz em uma estação ferroviária estratégica durante a Segunda Guerra Mundial, Milos está mais preocupado com sua problemática iniciação sexual. Oscar de melhor filme estrangeiro e clássico maior da Nouvelle Vague Tcheca.

Classificação indicativa – 14 anos.

 

16h – 60 Anos X: Metrópolis (Metropolis), de Fritz Lang. Alemanha, 1927. Com Brigitte Helm, Alfred Abel, Gustav Frölich, Rudolf Klein-Rogge e Fritz Rasp. Versão reconstituída (2010), 178’.

O filho do senhor de Metropolis, uma hedonística cidade desenvolvida para suprir as necessidades da classe superior, descobre o submundo dos trabalhadores explorados para manter a utopia da superfície. Clássico expressionista conhecido por inúmeras remontagens e restaurações.

Classificação indicativa – 10 anos.

 

ter 11

17h – Cinemateca 60 Anos XI: Estação Central de Cairo (Bab el hadid), de Youssef Chahine. Egito, 1958. Com Farid Shawki, Hind Rostom, Youssef Chahine e Hassan el Baroudi.  77’.

Um coxo passa a vender jornais na estação ferroviária da capital egípcia e se sente atraído obsessivamente por uma vendedora de bebida ilegal, tramando sua morte ao ser rejeitado.

Classificação indicativa – 14 anos.

 

19h – Pré-Estréia Duo Barrenechea: Brasileirissímo Encontros, de Liloye Boubli. Brasil, 2015. Documentário. 90’.

Registro comemorativo dos 25 anos do Duo Barrenechea, formado pelo flautista Sérgio Barrenechea e pela pianista Lúcia Barrenechea, acompanhando diversas apresentações e um recital no Theatro de Pirenópolis, construído em 1899.

Classificação indicativa – livre.

 

qua 12

18h – Cinemateca 60 Anos – A Cinemateca do MAM por Cosme Alves Netto, de Valêncio Xavier. Brasil, 1987. Documentário. 39’. Cinematecas de Marcos de Souza Mendes. Brasil, 1992. Documentário. 50’.

Resgistro de uma palestra de Cosme Alves Netto, diretor da Cinemateca por 21 anos, proferida no antigo Museu Guido Viaro, seguido de documentário sobre o estado da arte da preservação audiovisual brasileira no ínicio dos anos 90, com ênfase no arquivo carioca.

Classificação indicativa – livre.

19:30h – Debate: Cosme e a Cinemateca, com a participação de Miguel Pereira, José Carlos Avellar, José Carlos Monteiro, Alberto Shatovsky e Cacá Diegues. Mediação Carlos Alberto de Mattos.

qui 13

18h – Cinemateca 60 anos – O círculo do casamento de Ernest Lubitsch. EUA, 1924. Com Florence Vidor, Monte Blue, Marie Prevost. Legendas em português. 85’. Cópia em DVD. Sessão com acompanhamento de piano ao vivo por Cadu. Cópia em DVD.

Mulher casada tenta seduzir o novo marido de sua amiga.

Classificação indicativa – 14 anos.

 

CANCELADA! 20h – Cineclube Cinead: O escorpião escarlate: uma aventura do Anjo, de Ivan Cardoso. Brasil, 1990. Com Andréa Beltrão, Herson Capri, Nuno Leal Maia, Monique Evans e Roberta Close. 85’.

Glória Campos, uma estilista de modas, é fanática pela radionovela As aventuras do Anjo, passando a confundir realidade e ficção até que se vê no meio da luta entre o seu herói e o arqui-inimigo, o Escorpião Escarlate.

Classificação indicativa – 16 anos.

 

sex 14

18h – Cinemateca 60 Anos XII: Preservação das Imagens em Movimento, de Philip Johnston. Brasil, 2008. Documentário. 47’.

A partir da crise da Cinemateca do MAM em 2002 examina-se o quadro da preservação audiovisual no Brasil e na América Latina.

Classificação indicativa – livre.

19h – Debate: A Cinemateca pós-Cosme, com a participação de João Luiz Vieira, Susana Schild, Sílvia Oroz e Ricardo Cota. Mediação Hernani Heffner

 

sab 15

14h – Infantil: Garoto cósmico, de Alê Abreu. Brasil, 2007. Com as vozes de Aleph Naldi, Bianca Rayen, Mateus Duarte, Raul Cortez e Vanessa da Mata. Animação. 76’.

Num futuro distante, três crianças de um mundo programado descobrem a liberdade e a simplicidade através das brincadeiras de um circo.

Classificação indicativa – livre.

 

17h – Pré-estréia: Bete & Deise, de Wendelien van Oldenborgh. Bélgica, 2012. Com Bete Mendes e Deise Tigrona. 40’. Coproduzido por If I Cant Dance, I Dont Want To Be Part Of Your Revolution (Amsterdã), e Wilfried Lentz Rotterdam; com o apoio de Mondriaan Foundation e de Culture Programme of the European Union.

Terceira parte de uma trilogia sobre trabalho feminino e participação na esfera pública, desta vez enfocando duas conhecidas artistas brasileiras, a atriz Bete Mendes e a compositora e cantora Deise Tigrona. A partir do encontro proposto pela diretora no bairro carioca da Glória dois mundos se apresentam em suas afinidades e diferenças.

Classificação indicativa – 14 anos.

Sessão seguida de debate com a realizadora, as atrizes e a professora Ana Paula da Silva.

 

dom 16

14h – Cinemateca 60 Anos XIII: Amores Expressos (Chung Hing sam lam), de Wong Kar-Wai. Hong Kong, 1994. Com Brigitte Lin, Tony Chiu Wai Leung, Faye Wong, Takeshi Kaneshiro e Valerie Chow. 102’.

Os desencontros e desilusões amorosas entre os melancólicos policiais 223 e 663 e duas misteriosas mulheres em meio a uma féerica, global e pós-moderna Hong-Kong.

Classificação indicativa – 14 anos.

 

16h – Cinemateca 60 Anos XIV: O Leopardo (Il gattopardo), de Luchino Visconti. Italia/França, 1963. Com Burt Lancaster, Alain Delon, Claudia Cardinale, Mario Girotti e Pierre Clementi. 187’.

A decadência do aristocrata Fabrizio Cordeo, Princípe de Salina, e a ascensão do ex-camponês Don Calogero Sedara, na Sicilía de meados do século XIX. Vasto afresco em torno da formação da sociedade burguesa européia tornado célebre por conta do estilo, suntuosidade e tour de force da mise-en-scène viscontiana.

Classificação indicativa – 14 anos.

 

ter 18

16h – Frank Sinatra – A Voz no Cinema: Carnaval Atlântida, de José Carlos Burle. Brasil, 1952. Com Oscarito, Cyll Farney, Eliana, Grande Otelo, Colé e José Lewgoy. 92’.

A Acrópole Filmes quer produzir um super-espetáculo histórico sobre Helena de Tróia, mas enfrenta a descrença dos funcionários do estúdio, dificuldades técnicas e financeiras e as falcatruas do Conde Verdura. Os irmãos Cyll e Dick Farney e o diretor de alguns números musicais Carlos Manga estavam entre os membros do fã-clube de Frank Sinatra.

Classificação indicativa – livre.

 

18h – Frank Sinatra – A Voz no Cinema: A lua ao seu alcance (Higher and higher), de Tim Whelan. EUA,1943. Com Michèle Morgan, Jack Haley e Frank Sinatra. 90’.

Com a falência de um milionário, seus empregados tentam conseguir um casamento para a moça da limpeza da casa com um homem rico. Primeiro filme de Frank Sinatra como ator.

Classificação indicativa – livre.

 

qua 19

16h – Frank Sinatra – A Voz no Cinema: Beijou-me um bandido (The kissing bandit), de Laslo Benedek. EUA, 1948. Com Frank Sinatra, Kathryn Greyson e J. Carrol Naish. 100’.

Filho de um bandido mexicano sempre deixa a sua marca, beijando a moça mais bonita de cada grupo que ele rouba.

Classificação indicativa – livre.

 

18h – Frank Sinatra – A Voz no Cinema: Corações enamorados (Young at heart), de Gordon Douglas. EUA, 1954. Com Frank Sinatra, Doris Day e Gig Young. 117’.

A vida e o romance de três irmãs de uma família de artistas e a chegada de um charmoso compositor.

Classificação indicativa – 10 anos.

 

qui 20

16h – Frank Sinatra – A Voz no Cinema: A bela ditadora (Take me out of the ball game), De Bysby Berkeley. EUA, 1949. Com Frank Sinatra, Esther Williams e Gene Kelly. 93’. 35mm, Cor, Mono, 1.37:1, Livre

Em 1906, duas grandes estrelas do time de beisebol dos Wolves, juntam-se aos seus companheiros em Sarasota, Flórida, após terminarem suas férias, quando trabalharam como artistas do teatro de revistas.

Classificação indicativa – livre.

 

18h – Frank Sinatra – A Voz no Cinema: Um dia em Nova Iorque (On the town), de Stanley Donen e Gene Kelly. Com Gene Kelly, Frank Sinatra e Betty Garrett. 98’.

Três marinheiros aproveitam a folga para passar o dia inteiro em Nova Iorque.

Classificação indicativa – livre.

 

sex 21

16h – Frank Sinatra – A Voz no Cinema: Casar não custa (Double Dynamite), de Irving Cummings. EUA, 1951. Com Jane Russell, Groucho Marx e Frank Sinatra, 80’.

Johny recebe boa recompensa por salvar a vida de um ganster, mas acaba como suspeito em um roubo de banco.

Classificação indicativa – 10 anos.

 

17:40h – Frank Sinatra – A Voz no Cinema:  Marujos do amor (Anchors aweigh), de George Sidney. EUA, 1945. Com Gene Kelly, Kathryn Greyson e Frank Sinatra. 143’.

Dois jovens marujos conseguiram quatro dias de licença por bravura. Um é mulherengo e o outro não consegue conquistar nenhuma garota.

Classificação indicativa – 14 anos.

 

sab 22

 

16h – Frank Sinatra – A Voz no Cinema: Redenção de um covarde (Johnny Concho), de Don McGuire. EUA, 1956. Com Frank Sinatra, Keenan Wynn e William Conrad. 84’.

Johny Concho abusa do povo de uma pequena cidade pelo fato de seu irmão ser um pistoleiro temido.

Classificação indicativa – 14 anos.

 

17:40h – Frank Sinatra – A Voz no Cinema: O homem do braço de ouro (The man with the golden arm), de Otto Preminger. Com Frank Sinatra, Kim Novak e Eleanor Parker. 119’.

Croupier de uma casa de jogo em Chicago sonha ser bateirista.

Classificação indicativa – 16 anos.

 

dom 23

15:40h – Frank Sinatra – A Voz no Cinema: Chorei por você (The joker is wild), de Charles Vidor. EUA, 1957. Com Frank Sinatra, Mitzi Gaynor e Jeanne Crain. 126’.

Talentoso cantor que se apresenta em barzinhos se torna um famoso comediante dos anos 1930 a 1950.

Classificação indicativa – 14 anos.

 

18h – Frank Sinatra – A Voz no Cinema: A um passo da eternidade (From here to eternity), de Fred Zinnemann. EUA, 1953. Com Burt Lancaster, Montgomery Clift, Deborah Kerr, Donna Reed e Frank Sinatra. 118’.

Militar pede transferência do exército e vai para a base militar de Schofield, no Havaí. Seu novo capitão, sabendo que ele é um exímio boxeador, deseja que ele faça parte da equipe de boxe, mas ele se recusa terminantemente.

Classificação indicativa – 14 anos.

ter 25

16h – Frank Sinatra – A Voz no Cinema: Somos dois, de Milton Rodrigues. Brasil, 1950. Com Marina Cunha, Dick Farney, Norma Tamar, Sarah Nobre e Sérgio de Oliveira. 91’. 35mm>DVD, Preto e branco, Mono/DEB, 1.37:1, Livre

Escrito sob pseudônimo por Nelson Rodrigues, acompanha jovem interiorana fã de rádio recém chegada à capital federal em busca do dono da voz que admira, sem saber que pode ser um louco fugido do hospício. O curioso ensaio sobre o fenômeno do estrelismo explora o êmulo brasileiro de Frank Sinatra, o cantor Dick Farney, aqui em seu único papel dramático e de galã.

17:50h – Frank Sinatra – A Voz no Cinema: Can-Can, de Walter Lang. EUA, 1960. Com Frank Sinatra, Shirley McLaine e Maurice Chevalier. 131’.

Proprietária do mais famoso clube noturno de Montmartre passa grande parte de seu tempo no tribunal, graças à proibição de uma dança indecente e lasciva: o can-can.

Classificação indicativa – 14 anos.

qua 26

16h – Frank Sinatra – A Voz no Cinema: Eles e Elas (Guys and dolls), de Joseph L.Mankiewicz. EUA, 1955. Com Marlon Brando, Jean Simmons e Frank Sinatra. 152’

Um viciado em apostas aceita o desafio proposto por um velho amigo e terá que convencer uma missionária religiosa a viajar com ele para Havana para um jantar.

Classificação indicativa – livre.

 

18:50h – Frank Sinatra – A Voz no Cinema: Meu ofício é matar (Suddnely), de Lewis Allen. EUA, 1954. Com Frank Sinatra, Sterling Hayden e James Gleason. 75’.

Sinatra interpreta um dos papéis mais ousados de sua carreira, um assassino psicopata neste film noir.

Classificação indicativa – 14 anos.

 

qui 27

15:40h – Frank Sinatra – A Voz no Cinema: Deus sabe quanto amei (Some came running), de Vincente Minneli. EUA, 1958. Com Frank Sinatra, Dean Martin e Shirley McLaine. 135’.

No pós-guerra, um ex-escritor alcoólatra retorna a sua cidade natal acompanhado de uma mulher vulgar.

Classificação indicativa – 14 anos.

 

18h – Frank Sinatra – A Voz no Cinema: Alta Sociedade (High society), de Charles Walters. EUA, 1956. Com Bing Crosby, Grace Kelly e Frank Sinatra. 111’.

Tracy vai se casar pela segunda vez, mas seu primeiro marido descobre que está loucamente apaixonado por ela e a quer a seu lado.

Classificação indicativa – 14 anos.

20h – Sessão Plano: O Ébrio, de Gilda Abreu. Brasil, 1946. Com Vicente Celestino, Alice Archambeau, Rodolfo Arena e Walter D’Ávila. 120’.

Um dos maiores sucesso de bilheteria do cinema brasileiro, conta a história de um pretendente ao curso de medicina que paga seus estudos com canto e depois dedica-se de corpo e alma ao cuidado do próximo, sendo enganado pelos parentes e pela própria esposa.

Classificação indicativa – 10 anos.

sex 28

16h – Frank Sinatra – A Voz no Cinema: Meus dois carinhos (Pal Joey), de George Sidney. EUA, 1957. Com Frank Sinatra, Rita Hayworth e Kim Novak. 111’.

Um cantor conquistador se vê envolvido em um triângulo amoroso, ao mesmo tempo em que tenta realizar seu sonho – abrir uma casa de espetáculos com seu nome.

Classificação indicativa – 14 anos.

 

17:50h – Debate:

sab 29

16h – Frank Sinatra – A Voz no Cinema: Os viúvos também sonham (A hole in the head), de Frank Capra. EUA, 1959. Com Frank Sinatra, Edward G. Robinson e Eleanor Parker. 120’.

Dono de hotel em Miami vai pedir dinheiro emprestado ao irmão, mas esse lhe impõe uma condição, casar com uma mulher de sua escolha.

Classificação indicativa – 10 anos.

 

18h – Frank Sinatra – A Voz no Cinema: Sob o domínio do mal (The manchurian candidate), de John Frankenheimer. EUA, 1962. Com Frank Siantra, Laurence Harvey e Janet Leigh. 126’.

Ao retornar da guerra da Coreia, militar recebe as mais altas homenagens por seus atos de heroísmo, mas em seu pelotão há incertezas de como esses atos de bravura foram cometidos.

Classificação indicativa – 14 anos.

dom 30

14h – Infantil: Paprika (Papurika), de Kon Satoshi, Japão, 2006. Com as vozes de  Megumi HayashibaraTôru EmoriKatsunosuke Hori. 90’.

O roubo do D. C. Mini, um dispositivo que permite gravar e assitir sonhos, aproxima três cientistas, um inspetor de polícia e a duende Paprika na tentativa de identificar o ladrão e impedir que ele penetra em suas mentes.

Classificação indicativa – 10 anos.

16h – Frank Sinatra – A Voz no Cinema: Assalto a um transatlântico (Assault on a queen), de Jack Donahue. EUA, 1965. Com Frank Sinatra, Virna Lisi e Anthony Franciosa. 106’.

Mercenário americano é contratado por uma sedutora e aventureira italiana e seu sócio alemão para cometer um assalto em um transatlântico.

Classificação indicativa – 14 anos.

 

18h – Frank Sinatra – A Voz no Cinema: Só ficou a saudade (kings go forth), de Delmner Daves. EUA, 1958. Com Frank Sinatra, Tony Curtis e Natalie Wood. 109’. 35mm>Blu-Ray, Preto e branco, Mono/Westrex, 1.85:1, 14 anos

Durante a Segunda Grande Guerra, a Riviera Francesa é palco para um triângulo amoroso.

Classificação indicativa – 14 anos.

 

Salvo indicação em contrário os filmes serão apresentados em suas versões originais com legendas em português.